Celular: 99606-2104 61 4141-2104

Lesão no Manguito Rotador

O manguito rotador, é o conjunto de 4 músculos ao redor do ombro, conectados ao osso do braço pelos tendões. (supraespinal, infraespinal, subescapular e redondo menor). O Manguito Rotador é essencial para o bom funcionamento do ombro. Quando estes músculos se contraem, são realizados os movimentos do ombro e braço. São responsáveis ainda por proteger e estabilizar a articulação do ombro.

As doenças do manguito rotador são as principais causas de dor no ombro.

Leia mais

QUAIS SÃO AS CAUSAS DA LESÃO DO MANGUITO ROTADOR?

As lesões podem ser por:

  •  Traumas – por exemplo, acidentes automobilísticos, quedas da própria altura, ao carregar objetos muito pesados;
  •  Degeneração e desgaste natural: É a principal causa de lesão do manguito rotador, ocorrendo em até 95% dos casos. Com o avanço da idade ocorre um enfraquecimento natural dos tendões, por diminuição ou alteração da estrutura das fibras de colágeno. Isso faz com que indivíduos acima dos 40 ou 50 anos de idade sejam os mais susceptíveis a apresentarem lesão em algum dos tendões do manguito rotador. Acredita-se que, em grande parte das vezes, a doença ou síndrome do manguito rotador se inicie como uma tendinopatia (tendinite), que progride para uma lesão parcial e enfim para uma lesão total;
Anatomia do Manguito rotador

Anatomia do Manguito rotador

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA LESÃO DO MANGUITO ROTADOR?

A dor está presente na maioria dos casos. Frequentemente está localizada na região mais lateral do ombro e irradia-se para o braço, mas que também pode irradiar para a região cervical (pescoço) ou para as escápula (costas);

Piora com a movimentação do ombro. E pode ser pior a noite, ao deitar na cama.

Outro sintomas muito comum é a perda de força ou movimentação do ombro que comumente ocorre em lesões de maior tamanho.

 

QUAIS EXAMES SÃO IMPORTANTES PARA O DIAGNÓSTICO DA LESÃO DO MANGUITO ROTADOR?

Dor na região lateral do braço compatível com lesão do manguito rotador

Dor na região lateral do braço compatível com lesão do manguito rotador

 A ressonância magnética é o melhor exame para o diagnóstico da lesão do manguito rotador. Permite avaliarmos a presença ou não da lesão, o seu tamanho e localização. Auxiliando na programação do melhor tratamento.

Ressonância magnética demonstrando lesão do tendão supraespinal

Ressonância magnética demonstrando lesão do tendão supraespinal

O ultrassom também permite o diagnóstico destas lesões mas com uma acurácia inferior à ressonância magnética, pois depende muito da experiência do medico radiologista.

Rotura transfixante do supraespinal visualizada na ultrassonografia (A) e na ressonância magnética (B)

Rotura transfixante do supraespinal visualizada na ultrassonografia (A) e na ressonância magnética (B)

A radiografia serve apenas para descartamos outros diagnósticos diferenciais como a artrose.

QUAIS SÃO OS TIPOS DE LESÃO DO MANGUITO ROTADOR?

As lesões do manguito rotador podem ser parciais, quando não ocorreu rompimento de toda espessura do tendão. Elas as lesões são completas ou transfixantes quando toda espessura do tendão está rompida.

As lesões são mais comuns no tendão supraespinal, seguidas pelo tendão infraespinal e do subescapular.

O tamanho da lesão também é importante sendo pequenas, lesões até 1 cm, médias, de 1 a 3 cm e grandes, lesões maiores que 3 cm. Outro aspecto importante avaliado pelo médico é a atrofia ou degeneração muscular que pode ocorrer nas lesões crônicas do manguito rotador.

 

A)Músculo sem atrofia B)Músculo com atrofia leve C)Músculo com atrofia grave

A)Músculo sem atrofia B)Músculo com atrofia leve C)Músculo com atrofia grave

QUAL O TRATAMENTO DA LESÃO DO MANGUITO ROTADOR?

O tratamento deve ser individualizado para cada paciente. Deve-se levar em conta uma série de fatores como: idade do paciente, intensidade da dor, perda da função, número de tendões acometidos, se a lesão é parcial ou completa. Portanto, As lesões dos tendões não cicatrizam sozinhas. No entanto, nem todas as lesões precisam de cirurgia.

QUAL O TRATAMENTO DAS ROTURAS PARCIAIS DO MANGUITO ROTADOR?

As lesões parciais do manguito rotador são geralmente tratadas sem cirurgia. Utilizamos medicações anti-inflamatórias, repouso, gelo e indicamos a fisioterapia, que tem  como objetivo de reduzir a dor, melhor o alongamento e  fortalecer a musculatura ao redor do ombro. Evidentemente que as lesões dos tendões não cicatrizam mas podem ficar estáveis e assintomáticas por longo período.

Para as roturas parciais, a cirurgia é indicada quando o paciente mantém dor e disfunção por falha do tratamento conservador com reabilitação, corretamente realizado por 3 a 6 meses.

Para lesões acometendo menos que 50% da espessura do tendão, o tratamento não cirúrgico é muito eficiente.  O fortalecimento da musculatura, poupa a solicitação dos tendões do manguito rotador, permitindo que a lesão não progrida.

Para lesões maiores que 50%, muitas vezes, o tratamento fisioterápico pode não ser eficaz.

QUAL O TRATAMENTO DAS ROTURAS TRANSFIXANTES DO MANGUITO ROTADOR?

Nas lesões completas ou transfixantes, o tratamento cirúrgico é indicado para a maioria dos casos, pois as lesões completas podem progredir de tamanho ao longo do tempo e quando uma lesão progride muito, ela pode se tornar irreparável, ou seja, mesmo com a cirurgia o tendão pode não retornar ao seu local de origem ou mesmo ter um risco altíssimo de re-rotura (romper de novo)

O tratamento não cirúrgico é reservado para pessoas com baixa utilização dos ombros (idosos não ativos) ou pessoas com contraindicações clínicas para a cirurgia.  No entanto, se o paciente tem pouca ou nenhuma dor, a conduta pode ser não cirúrgica, realizando-se uma reabilitação adequada, evitando-se movimentos com o braço elevado e realizando um seguimento médico periódico para avaliar se há progressão da lesão ou piora dos sintomas.

COMO É O TRATAMENTO CIRÚRGICO DA LESÃO DO MANGUITO ROTADOR?

O objetivo da cirurgia é suturar os tendões rompidos na sua inserção óssea.

Atualmente a maioria das lesões do manguito rotador são operadas por artroscopia (cirurgia por vídeo), realizada com auxilio de uma câmera, a cirurgia é feita com mínimos cortes na pele (somente para a entrada da câmara e instrumentos). Nela é feita uma “limpeza” da região acima dos tendões,  ressecção da Bursa inflamada e do esporão do acrômio (aumentando o espaço por onde o tendão passa), em um procedimento chamado acromioplastia. Para auxiliar o cirurgião, existem implantes chamados âncoras que facilitam o reparo tendíneo. Procedimentos complementares podem ser realizados no tendão do bíceps (que cruza a articulação), em algum tendão do manguito rotador, ou até mesmo para a artrose acromioclavicular. Normalmente o paciente permanece internado no hospital por menos de 24 horas. Usualmente, para a realização da artroscopia de ombro, o paciente é submetido a uma anestesia geral complementada pelo bloqueio dos nervos do plexo braquial.

A cirurgia para tratamento das lesões do manguito rotador é o procedimento cirúrgico mais realizado pelos cirurgiões de ombro e cotovelo, sendo que esta cirurgia proporciona resultados clínicos são bons e excelentes em 90% dos pacientes.

Cirurgia da Lesão do Manguito Rotador

Cirurgia da Lesão do Manguito Rotador

O QUE ACONTECE QUANDO UMA LESÃO NÃO É TRATADA?

Quando uma lesão não é tratada, ela pode aumentar de tamanho, envolver outros tendões e estruturas (como o bíceps) e inviabilizar o seu reparo futuro. Além disso, os músculos do manguito rotador podem se degenerar e atrofiar de forma irreversível. A longo prazo, as lesões extensas do manguito rotador podem levar a uma artrose característica e grave, chamada Artropatia do Manguito Rotador. 

COMO É O PÓS-OPERATÓRIO DA LESÃO DO MANGUITO ROTADOR?

A reabilitação após a cirurgia é geralmente considerada a parte mais difícil do tratamento. O paciente deve permanecer imobilizado com uma tipóia e sem conduzir veículos por 4 semanas. Isso porque a cicatrização do tendão no osso é um processo biológico demorado. Mantemos uma tipoia por 4 a 6 semanas. Não usar a tipoia ou começar a realizar exercícios antes deste período pode levar a falha do reparo e comprometimento da cicatrização

Atividade com pesos é permitido após 3 meses. Esportes ou atividades físicas podem ser liberados depois de 6 meses ou mais. É importante ressaltar que esses prazos variam de acordo com a qualidade e resistência dos tendões do paciente, do tamanho e grau de retração da lesão e da opinião de cada cirurgião.

FIZ A CIRURGIA DE REPARO DO MANGUITO ROTADOR E AINDA TENHO MUITA DOR?

No pós-operatório imediato (primeiras 6 semanas) é comum ter dor pelo próprio ato cirúrgico e pela processo cicatrização dos tendões.

 Importante!

Procure orientação de um ortopedista especialista em ruptura de tendão no ombro assim que detectar algum dos sintomas ou após sofrer algum trauma. A demora prolongada no diagnóstico e início do tratamento pode comprometer permanentemente o movimento desta articulação tão importante.

0 Comments

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Patologias e Tratamentos

O que é Artroscopia de Ombro?

O que é Artroscopia de Ombro?

COMO É A ANESTESIA? As cirurgias do ombro costumam ser realizadas sob anestesia geral e bloqueio de plexo braquial (aplicada no pescoço), o que...

read more
Fratura do Ombro

Fratura do Ombro

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO DA FRATURA NO OMBRO? O diagnóstico é feito pela história clínica e exame físico e as principais queixas e sintomas...

read more

O profissional

Dr. Guilherme Franco

Dr. Guilherme Franco

Médico ortopedista especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo. Atualmente, Atende hospital Santa Helena, biovida e biosphere.

  • Possui graduação em Medicina pela Universidade Católica de Brasília – DF
  • Realizou a especialização (Residência médica) em Ortopedia e Traumatologia pelo Hospital de Base do DF.
  • Tornou-se especialista em cirurgia do ombro pelo Hospital Ortopédico de Belo Horizonte – MG, sob supervisão do orientador Dr. Glaydson Godinho
  • É Membro da SBOT (Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia)
  • É Membro da SBCOC (Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro e Cotovelo)
  • Fellow AO Trauma Course – Basic Principles of Fracture Management

Convênios

AFEB BRASILAFFEGOASETE (ASTE)BACEN
ASEMBRAPA (EMBRAPA)BRADESCOBRB SAÚDECAEME - GO
CAESANCAMEDCARE PLUSCASEC (CODEVASF
CASSICNTICONABE-VIDA (ELETRONORTE)
EMBRATEL (DEMAIS PLANOS)FACEBFAPES (BNDES)FASCAL
GAMA SAÚDEGEAPGRAVIAINFRAERO
LIFE EMPRESARIALNOTRE DAMEOMINT SAÚDEPETROBRÁS DISTRIBUIDORA
PETROBRÁS PETRÓLEOPLAN ASSISTE (MPF, MPM, MPT)PLAS/JMU (STM)PMDF
POSTAL SAÚDE (ECT, TJDFT)PROASAPRÓ-SER (STJ)PRÓ-SOCIAL (TRF)
REAL GRANDEZASAÚDE CAIXASERPROSIS (SENADOR)
STF-MED (STF)SULAMERICATRE SAÚDETRT SAÚDE
TST SAÚDEUNAFISCO (SINDIFISCO)

Contato

Formas de Contato

× Entre em Contato